“Tempo de abraçar e tempo de se apartar do abraço.”
Eclesiastes 3:5

A última vez que dei um abraço em uma pessoa que amava muito, foi numa tarde de sábado no mês de Setembro do ano passado, onde ela simplesmente saiu dos meus braços para nunca mais voltar, naquele abraço que dei também selei os lábios dela com os meus em um último beijo, o qual foi simplesmente rejeitado pelo toque dos seus lábios.

Sim isso mesmo, aquele abraço que tanto me trazia o conforto e calmaria para minha alma e corpo, e aquele beijo que fazia-me transbordar de amor levando-me as alturas, simplesmente foram os últimos que eu poderia dar na pessoa que tanto meu coração com todas as suas forças amou, e no qual jurei que amaria e cuidaria para sempre.

Sinceramente não sei porque fiz aquele ato, porém no meu desespero de não perde-la, achei que fazendo aquilo naquele último momento, tudo poderia se resolver e retornar ao que era antes, mas não, não foi assim que aconteceu, pois por mais que não queria aceitar, já havia tempo que eu a tinha perdido.

Então simplesmente fui embora, houve muito lamento da minha parte pois meu coração estava se despedaçando por inteiro e ao longo dos dias a dor só aumentava, e desde daquele momento eu nunca mais provei aquele abraço novamente, abraço este que me fazia um bem que não sabia que fazia, até perde-lo para nunca mais voltar.

Realmente parecia uma cena de algum filme de Hollywood ou alguma série da Netflix, nunca imaginei que passaria por algo daquele tipo, mas passei e posso dizer com clareza que doeu e doeu muito, uma dor que nunca houvera sentido antes, uma dor que pensei nunca sofrer o dano, tamanho dano que deixou-me atordoado e somente durante esses tempos tenho recuperado a minha sobriedade.

Essa é a vida, por mais que não queremos ou aceitemos ela é assim, muitas vezes é dura e sofrida, nos machuca para nos moldar o caráter, e mostrar para nós mesmo que precisamos aprender que cada palavra dita, cada beijo dado e cada abraço sentido, poderá ser realmente o último, e o último por mais que não queiramos, sempre será o que nos marcará para sempre, até encontrarmos uma pessoa na qual estará disposta a nos abraçar e aos poucos apagar esta marca, até torna-la uma simples cicatriz.

Sim um novo amor, o qual trará de volta aquela alegria e aquele sentido de vida que sabíamos que estava ali, porém adormecido sendo assim despertado novamente, voltando mais uma vez a ter aquele abraço gostoso, que nos traz a calmaria que tanto queremos, e aquele bom e caloroso amor, que nem pai, nem mãe e nem ao menos nossos amigos podem nos dar.

Não me entenda mal, é ótimo ter os abraços das pessoas que amamos e que sempre se encontram em nossas vidas para nos consolar e nos confortar, mas quando este abraço parte da pessoa amada não há abraço que supere tal afeto, e hoje tudo o que gostaria de ter é este tipo de abraço que o tempo levou e que hoje sinto falta…

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s