Índice:
IntroduçãoPrimeiro dia de aulaAcidentes acontecemPrimeiro AmorPaixõesPequena mudança

“Na adolescência tudo é complicado e confuso, é um tempo que os hormônios falam mais alto, nos tornando rudes, inseguros de nós mesmos e também mostrando nossa total imaturidade, mesmo achando que somos maduros o suficiente.”

Dona Amélia

A adolescência é uma das piores fases que qualquer pessoa pode viver, para alguns foi uma fase de muita azaração, amizades e popularidade, já para outros a rejeição e os famosos “bullyings” eram constantes fora que tal termo nem se quer existia naquela época!

Muitos adolescentes queriam apenas estudar ou simplesmente fazer aquela rotina de acordar e ir para escola mesmo não sendo tão estudiosos assim. E por conta dos hormônios que nesta época ficavam a flor da pele, tudo parecia piorar já que uns queriam ser melhores que os outros e as brigas eram constantes, tanto de garotos como de garotas, sempre havia alguma briga. Para quem era esperto tentava fugir o máximo delas, afinal de contas se você batia em um poderia ter certeza que pelo menos 5 estariam a sua espera no final da aula.

E em toda essa euforia, também era a fase da mudança do corpo tanto dos garotos quanto das garotas, enquanto os rapazes começavam a ter pelos em seus rostos e em algumas partes peculiares dos seus corpos, além da mudança de voz, as meninas por sua vez começavam a ficar cada vez mais atraentes aos olhos dos rapazes, atingindo manequins muito bem desejáveis, fazendo-os pensar nelas em momentos sozinhos em seus banheiros ou quartos.

Parecia que a lei da natureza escolar sempre favorecia os rapazes mais descolados e também os mais bagunceiros da escola, as meninas se interessavam por eles, talvez por serem mais cheios de atitude e também por oprimirem aqueles que eram chamados de “CDFs”, já estes procuravam se esforçar nos estudos e aguentar as opressões daqueles valentões cheios de capangas por todos os lados. Era uma verdadeira união de magnatas escolares mirins. Uma certa vez, um rapaz bateu em um destes bagunceiros que por sua vez teve a proteção dos seus amigos de outras classes, resumindo o garoto levou umas bordoadas, mas pelo que parece conseguiu escapar, realmente não era possível enfrenta-los, ou você estava com eles ou estava contra eles.

Nesta adorável época escolar o pequeno Sonhador estudou por 4 longos anos, havia de fato um motivo para ele se alegrar, finalmente poderia ver Débora! Ele a viu na escola, porém ao observa-la percebeu que ela nem se quer ligava para ele, ou ao menos não reconhecera e se reconhecera não se importava muito, talvez não lembrara, nunca saberemos, afinal ele como sempre não teve a coragem para tentar um contato mais do que visual com ela, as vezes ele dava alguns “Ois” e não passava disso. Uma certa vez para chamar a sua atenção jogou uma bola de papel, não obtendo sucesso, o que era óbvio afinal a foi uma estupidez fazer tal coisa! A única atenção que recebeu foi uma bronca dela. No final das contas com o passar do tempo, tudo aquilo que um dia ele imaginou, toda expectativa que tinha foi por água abaixo, ele se frustrou consigo e por um longo tempo ficou chateado, mas logo passou e aos poucos foi percebendo que aqueles sonhos e pensamentos eram nada mais que uma tola fantasia de infância que alimentou sem necessidades, então ergueu sua cabeça e seguiu em frente.

Estudar na escola Dona Amélia não foi uma tarefa fácil, ele não era o tipo de cara descolado ou bagunceiro, muito menos era o tipo estudioso ou CDF, ele era um cara na dele, estava no meio termo para ser exato, porém não existem meios termos quando o assunto é escola e um bando de adolescentes a flor da pele. Muito pelo contrário! Este era o seu momento de escolher em qual lado ficaria: com a turma da bagunça e receber proteção vitalícia na seria uma boa jogada só que o problema era que os termos eram muitos altos, ele não poderia estudar tanto a ponto de classificarem como CDF e bom alguns deles eram bem burros o que não lhe agradava muito, mas o outro lado também não era nem um pouco atraente, devido o fato de serem CDFs, onde o único contato que tinham com garotas eram suas próprias mães, tias e avós, nem suas primas queriam contado com eles! Essa era a dura jogada do destino do qual estava pressionando para uma decisão que mudaria por alguns anos o modo como todos veriam ele. O fato é que aquela época era complicada, quem assistia desenhos era classificado como criança e se fosse Pokémon pior ainda, ser nerd não era opção e nem estilo, era motivo de chacota, vergonha, zoação e isolamento. Se estudava um pouco e fosse um tanto quieto já era classificado CDF, as meninas não se interessavam por CDFs, e as próprias CDFs não se interessavam por ninguém, realmente era um tempo que ser adolescente era difícil, pois afinal quem quer ser rejeitado por alguém ainda mais se for uma garota não é mesmo?

No final das contas sua oportunidade de ficar com os “bad boys e descolados” da escola foi por água abaixo, ele não era um bagunceiro nato pelo fato de temer a reprovação na escola e teve que infelizmente ficar com os CDFs, os quais até que não eram tão ruins assim, fora o fato de serem muitos crianças mesmo assim eram pessoas legais, mas repelentes de garotas. O tempo passou e com ele também os anos de escola dos quais foram difíceis para ele, mas as coisas mudariam logo com a chegada da 8ª série, só que antes disso com seus 14 anos de idade conheceu uma jovem que era filha de uma amiga de sua mãe. A mulher se chamava Marta, um moça simpática e trabalhadora, mãe solteira e muito guerreira, da qual tinha uma linda filha que por ironia do destino iria estudar com ele na 8ª série e o pior de tudo é que ele se apaixonaria por ela.

Anúncios

10 comentários sobre “Adolescência

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s