Índice:
IntroduçãoPrimeiro dia de aulaAcidentes acontecemPrimeiro AmorPaixõesPequena mudançaAdolescência – A filha da Marta 1ª Parte A filha da Marta 2ª Parte
O Descolado – Mudando de Posição

“O medo atrapalha sempre nos momentos oportunos de nossas vidas e nestes momento devemos ser audaciosos em nos arriscar, mesmo que o resultado não seja o que esperamos.”

Oportunidade perdida

Nomura e Sonhador sempre andavam juntos, já que moravam praticamente a 15 minutos da casa um do outro, foi através de Nomura que o Sonhador começou a ser um pouco mais audacioso, perdendo um pouco sua timidez. A amizade deles era sincera e sempre tramavam algo para fazer, falavam muito a respeito sobre garotas, principalmente Nomura, ele praticamente era um verdadeiro mulherengo e facilmente conseguia falar com elas. Nomura também falava muito a respeito em ir para o Japão, já que ele era descendente por parte do seu avô, mencionava ao Sonhador para que este fosse adotado para que ambos se aventurassem pelo país, mas Sonhador não sabia ao certo se isso de fato era possível. E ali estavam os dois amigos sempre papeando, Nomura dava algumas dicas para o Sonhador sobre como falar com as mulheres e perde a timidez que tanto atrapalhava ele. Em um certo dia no período da tarde, eles foram para a biblioteca da escola para estudarem para um trabalho de história. Enquanto procuravam os livros uma garota baixinha e magra, pele morena, longos cabelos lisos escuros, boca grande e que habitava um lindo sorriso apareceu na biblioteca, ela parecia ser uma moça delicada, mas na verdade era uma verdadeira moleca e era muito bonita, qualquer rapaz teria o privilégio em namora-la. O nome dela era Patrícia e estudava na mesma classe que Nomura e Sonhador. Ela estava ali para também fazer o trabalho e sentou com eles, então todos começaram a conversar e como sempre Nomura sempre dando algumas indiretas para ela, pelo menos era o que aparentava, a conversa não parava e Sonhador participava com pouca timidez.

Passado algumas horas, Sonhador e Patrícia estavam sozinhos na mesa, Nomura tinha saído por um breve momento, não se sabe como ocorrera tal brincadeira, se foi ela ou ele, mas houve um guerra de bolinha de papel a qual ambos riam um com o outro se provocando. Logo ela correu para o corredor rente a biblioteca, Sonhador foi atrás dela e aquela brincadeira inocente acontecia com muitos risos e muitos “não ouse jogar novamente” e “você vai ver”. Certo momento Patrícia jogou aquela bola de papel entre os olhos dele o qual ao se desviar foi acertado de raspão, ela prontamente correu até ele pedindo desculpas achando que tinha machucado, ela se achegou a ele bem próximo dos seus braços verificando o ocorrido, o qual ele aproveitou a oportunidade de envolvê-la em seus braços que por um breve momento ela se entregara completamente. Ambos se olharam nos olhos, ela estava com um sorriso lindo porém tímido e ele olhava fixamente em seus charmosos olhos castanhos, naqueles segundos seu coração bateu rapidamente, creio que o dela também, via-se claramente que ela esperava que ele desse o próximo passo, o qual seria o primeiro beijo de ambos. Neste instante alguns alunos ficaram a beira da porta observando os dois abraçados prontos para o grande e inesperado beijo, o qual não ocorreu por conta da timidez que bateu naquele momento por causa dos alunos bisbilhoteiros. Sim sua grande chance foi perdida naquele exato momento, a qual Patrícia estava vulnerável em seus braços. Então sem nenhum alternativa a pegou no colo e a girou no ar a qual sorrindo disse para ele parar então a soltou levemente e voltaram para a biblioteca.

Alguns dias se passaram e Patrícia as vezes sentava perto do Sonhador, muitos da sala de aula reparavam que ambos estavam muitos próximos e as vezes trocavam olhares, e como toda classe eles não perdoavam, ele poderia aproveitar o momento e perder logo toda a timidez, mas não foi bem o que ocorreu, ele ficava sem jeito com ela, aquele cara da biblioteca que parecia tão atraente, agora era um bocó apaixonado que mal conseguia ter um conversa descente com a garota. Logo ela se desencantou dele e ele mais uma vez perdia uma chance única de ficar com uma das garotas mais bonitas da classe, tudo por ter medo de levar um não dela, sendo que o sim estava plenamente estampado, pelo menos era o que parecia.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s