A Vida é Bela!

A Vida é Bela!

“Princesa!”
Guido Orefice

Quem não riu e ao mesmo tempo não se emocionou com Guido Orefice um homem carismático interpretado pelo ator italiano Roberto Benigni, roteirista e diretor desta belíssima obra que conta a história de um homem completamente apaixonado por uma professora chamada Dora. E neste laço de amor nasce o pequeno Giosuè que por sinal é uma criança esperta, adorável e apaixonada por tanques de guerra!

Pra quem nunca viu o filme ele se baseia na 2ª Guerra Mundial onde Guido e seu filhinho são levados para o campo de concentração juntamente com muitos outros judeus, mas não quero estar contando o enredo do filme, só destacar o amor e o cuidado de Guido pelo bem estar e sobrevivência do seu filho, o qual não estava entendo o que estava acontecendo e nem se quer imaginava que se encontrava num campo de concentração, onde muitas crianças, idosos e tantas mulheres e homens foram mortos. E com seu humor e reverência Guido fala para o seu filho que aquilo era um jogo do qual quem fizesse 1000 pontos ganharia um Tanque de Guerra de verdade.

Também vemos Dora a qual não era judia, mas por amor a sua família se dispôs a ir para o campo de concentração na esperança de ficar com Guido e seu filho, porém por conta das circunstâncias ficaram separados até o fim da guerra e mesmos distantes um do outro, o amor dela por Guido e seu filho e o amor de Guido pela sua Princesa era imensurável.

Esta comédia dramática nos ensina que por meio das piores situações que podemos vivenciar no percurso das nossas vidas, podemos ter fé e esperança, onde não encontramos e dar esta mesma fé e esperança para aqueles que não possuem mais, procurando cuidar e proteger aqueles que amamos, se necessário com a própria vida para que eles possam de alguma maneira viver.

Sei muito bem que não houve beleza nenhuma na história da 2ª Guerra, mas esta obra creio eu, traz este desfecho de esperança dos quais muitos judeus que sobreviveram tiveram de alguma maneira encontrar forças para ter tal esperança, mesmo nas circunstâncias que se encontravam e que por toda vida carregariam e carregaram para suas gerações futuras.

Este filme é maravilhoso e recomendo a todos para conferirem e apreciarem esta magnífica obra da qual amo e com toda certeza verei uma próxima vez!

Espero que vocês também desfrutem assim como eu e que as lições deste filme nos ensina venham florescer em seus corações.

Dedico este post a Srta. Chepelski, uma amante da história da 2ª Guerra Mundial.

Abraço a todos e até segunda!

A infidelidade é sempre cega

A infidelidade é sempre cega

“Não adulterarás.”
Êxodo 20:14

“Assim, o que adultera com uma mulher [um homem] é falto de entendimento; aquele [aquela] que faz isso destrói a sua alma.”
Provérbios 6:32

“A infidelidade é sempre cega.”
João Calvino

Por que nos tempos atuais há tanta Infidelidade em nossos relacionamentos?

Por que o casamento se tornou algo tão fútil a ponto de ser descartado como um simples papel rabiscado?

A traição, o adultério ou a infidelidade em um relacionamento é uma das maiores demonstrações de egocentrismo de uma pessoa, pois esta procura fazer-se feliz independentemente do que faz o(a) seu (sua) parceiro(a) feliz, mostrando assim sua falta de honestidade e de moralidade em si mesma.

Isto pode soar com uma força de palavras completamente ofensivas, mas esta é a realidade da pessoa que faz um voto de fidelidade para com a outra, e por mais que haja brigas e arrependimentos, tudo pode ser resolvido, afinal o amor pode prevalecer em tudo isto com muita conversa e perdão de ambas as partes, mas se não há verdadeiro amor em uma das partes, então realmente haverá um grande problema que resultará na traição.

E quando a pessoa infiel começa a cogitar tal ato, flertando e procurando satisfazer sua “felicidade egoísta” com outra pessoa, esta mesma quebra o voto de confiança e respeito para com seu (sua) parceiro(a), onde acarretará em mais problemas e crises no relacionamento conjugal.

Sim, só quem foi traído sabe a dor e o tormento de uma traição que no decorrer e na maioria das vezes se dá ao término do relacionamento que deveria ser “até que a morte nos separe”, e como dizem o divórcio é pior que a morte, pois a pessoa continua viva, tornando assim as lembranças um tormento.

Muitos não perdoam os que traem, outros sim, mas a questão que fica é a seguinte:

A pessoa que traiu e que foi perdoada, mas optou pela separação em prol da sua necessidade de fazer a si mesma “feliz”, como fica a mente dessa pessoa?

Será que tal pessoa fica tranquila, achando isso natural e que a vida é assim?

E se a pessoa conhece a palavra de Deus, será que assim mesmo ela possui paz dentro de si, mesmo sabendo que não foi fiel?

Sinceramente faço essas perguntas em minha mente, mas não cabe a mim responde-las, a única coisa que sei é que Deus tudo sabe, tudo olha e de tudo cuida, e bom, mais cedo ou mais tarde creio que a pessoa será despertada, caso contrário é a maior vida de engano que alguém pode viver para si mesma.

 

Você é um com ela…

Você é um com ela…
“Vós, maridos, amai vossas mulheres, como também Cristo amou a igreja, e a si mesmo se entregou por ela,
Para a santificar, purificando-a com a lavagem da água, pela palavra,
Para a apresentar a si mesmo igreja gloriosa, sem mácula, nem ruga, nem coisa semelhante, mas santa e irrepreensível.
Assim devem os maridos amar as suas próprias mulheres, como a seus próprios corpos. Quem ama a sua mulher, ama-se a si mesmo.
Porque nunca ninguém odiou a sua própria carne; antes a alimenta e sustenta, como também o Senhor à igreja;”
Efésios 5:25-29

Está passagem é a maior declaração na vida de todos os homens casados, amar a sua mulher ao ponto de entregar a sua própria vida por ela é somente para aqueles que entende o propósito do matrimônio mediante a vida de Cristo.

É entender que perdoar seus pecados, suas faltas e falhas em todas as circunstâncias de sua jornada até as que mais lhe ferem e quebram o seu orgulho por entender que você é um com ela e lhe deve o Amor assim como Cristo ama imensuravelmente a sua igreja.

Dar a vida a sua esposa não é somente entrega-la de fato a morte, mas morrer para suas vontades, morrer para os seus desejos e morrer para si mesmo, colocando-a sempre em primeiro lugar, cuidando, orando, suprindo suas necessidades físicas, emocionais e espirituais.

Doar-se para a vida dela por inteiro sem pestanejar, sem requerer algo em troca e sem arrependimentos, assim como o próprio Cristo que não somente deu sua vida como até neste exato momento tem cuidado de sua amada noiva.

O homem que entende e com seu coração compreende essa verdade, experimentará de fato algo que jamais viverá em todas as áreas de sua vida, esse discernimento é uma das maiores e mais profundas conexões que um homem pode ter acerca da semelhança de seu Senhor Amado, Cristo.

Amar a sua esposa é nada mais que amar a si mesmo, é entender que cuidar dela é cuidar de si mesmo, supri-la é suprir a si mesmo, santifica-la é santificar a si mesmo!

Homem quero lhe dizer algo: Nunca, jamais deixe estes versículos passarem distantes do seu coração, leia, medite, compreenda e pratique todos os dias da sua vida, pois você se tornará semelhante a Cristo, em suas dores e súplicas e em suas alegrias e satisfações!

Quebrar este grandioso mandamento que é sentenciar a sua própria morte, é destruir-se a si mesmo, é se odiar e se auto flagelar, é dizer: Quero ser o homem cujo o Senhor abomina e cujo o Santo me consuma vivo, pois não tenho amor a minha própria vida e prefiro me deleitar com as prostitutas e me deitar com as mais peçonhentas víboras venenosas!

Espero que você como homem entenda o que digo e comece a viver neste pleno Amor com sua Esposa, vá de encontro a Deus e viva, ore a Deus para vive-lo e viva, pois lhe garanto que você desfrutará de uma novidade de vida todos os dias ao qual você nunca imaginou perante o Senhor diante de sua amada esposa, entenda que ela é seu próprio corpo que ela é sua própria vida e que você tem o dever de cuidar dela a todo custo, amando-a, perdoando-a, purificando-a, sustentando-a e santificando-a para a Glória de Deus em Cristo Jesus!