Lembranças…

Lembranças…

Porque as lembranças as vezes corroem minha mente, me levando a uma tortura na qual o passado me quer apunhalar pelas costas, com um golpe certeiro onde a minha carne sente na pele a angústia da mesma.

Sim assim sou eu em certos períodos, dos quais não me alegro muito em passar, nas quais as lembranças são como pequenas farpas que ao entrarem na carne seja a região onde for, se não remove-las depressa o lugar afetado inflama, levando assim a uma dor aguda e angustiante.

Lembranças só servem para a tortura da alma na qual procura descanso e sossego, esta que já cansada procura um alento para se aconchegar de suas feridas que lhe fadigaram e lhe trouxeram dores como a do parto da grávida, mas diferente da gestante que após dar a luz vem o sossego e a alegria, as lembranças trazem mais tormento levando-me as vezes a beira da loucura por não conseguir fugir delas.

Gostaria sim de apagar da minha mente as lembranças que me marcam e de certa forma mesmo já sendo apenas lembranças, as vezes me ferem por muitas delas serem boas, mostrando ainda mais os fracassos que vive dos quais levarei até a minha morte.

Por isso o único meio de fugir delas, o único meio de curar tais feridas é correndo para Ti ó Deus, pois em Ti posso encontrar um abrigo seguro e tranquilo ao qual encontro descanso e assim posso ter aquela paz que excede todo o meu entendimento.