Violência

Violência

“Onde acaba o amor têm início o poder, a violência e o terror.”
Carl Jung

Vivemos hoje numa sociedade cheio de violência de todos os tipos que podemos imaginar e um dos mais cruéis e que afetam por anos as mulheres e crianças é a tão famosa e cruel “violência sexual”.

Assim como qualquer lugar do mundo, nosso país tem tido muitos casos nos últimos anos e eis que surge uma pergunta:

Por que os homens tem feito tais atrocidades?

A primeira coisa que entendo sobre esta situação é a questão do ser humano em si ser egoísta e os “homens” possuem uma certa tendência de quererem possuir aquilo que almejam, mas quando tal homem passa dos limites da razão e da moralidade, vemos praticamente um maniaco sem coração e sem pudor.

Uma certa vez, li um artigo de um documentário que explicava a respeito de pessoas que cometem violência contra outras e o por que delas fazerem tais coisas. Neste mesmo artigo afirmava que tais pessoas sentiam o prazer de ver suas vítimas sofrendo o dano que estes faziam com elas, seja matando-as ou violentando-as sexualmente ou não.

E tal atrocidade que aconteceu recentemente com uma jovem que foi violentada por mais de 30 homens me fez lembrar de tal artigo. Não posso dizer que tais homens se enquadram na explicação do documentário que li, mas posso afirma que este fizeram tal ato, pelo simples fato de serem corruptos, egoístas e extremamente imorais!

Mas além de todas essa corrupção deste e de muitos outros que se enquadram neste mesmo perfil, não posso de deixar de falar do porque muitos são dessa maneira, ou fazem tais coisas. A mídia em seu meio áudio e visual, tem colaborado e muito através de suas letras, danças e videos sexualizados. Isso de uma certa forma alimenta tais homens que já não possuem caráter e com toda essa ideia gerada em sua mente os torna ainda piores.

Não tiro a responsabilidade e a índole de tais indivíduos que praticam/praticaram tal violência seja sexual ou não. Mas também creio que não podemos descartar tais coisas que hoje tem se tornado cada vez mais comum em nossa sociedade e entre os jovens. Também não podemos descarta a questão da educação que tais indivíduos recebem de seus pais (se recebem), ou até mesmo as amizades que cultivam e até mesmo traumas de infância.

Sinceramente neste quesito a muitos fatores que levam tais homens a agirem e viverem dessa forma, mas tudo isso se resumo a uma questão:

“A maldade que há no coração do homem.”

É a questão primordial e básica de qualquer ser humano, pois quando somos egoístas, mesquinhos e vorazes com nossas próprias vontades, isso nada mais é a reflexão do nosso coração. A falta de amor ao próximo, a falta de compaixão, de humildade própria e solidariedade tem sido algo em falta para todos nós, seja para uma pessoa religiosa ou não.

Enquanto nós não mudarmos nada mudará, não adianta criar movimentos sociais por tais causas onde muitos que participam (em especial seus lideres), buscam seus próprios benefícios.

O melhor modo de mudar um individuo na sociedade é através de uma boa educação na escola e também dentro de casa. É ensinar os valores e o respeito para com um cidadão, esta sendo homem ou mulher. É trazer princípios cristãos que refletem em ter caráter, amor e sacrifício próprio, não estou dizendo que é necessário ser religioso ou coisa do tipo.

Enfim, este é o meu pensamento e entendo que todos nós devemos o amor ao próximo, é difícil? É. Mas é necessário.

Paixão

Paixão

Que razão há no coração de quem se entrega a paixão?

Sim que razão há?!

Somos deveras atormentados por tal sentimento que embriaga-nos como o mais doce vinho e leva-nos a uma sensação extraordinária como em um entardecer na praia em um lindo dia de início de primavera.

Pegos desprevenidos com sua astuta arapuca arquitetada para cativar cada pensamento, cada sonho e cada desejo do âmago mais profundo do coração.

A paixão nos leva a uma loucura desenfreada de querer estar com a pessoa que em nossos pensamentos mora, de querer saber a cada segundo como ela está e onde se encontra, de querer conhecer cada sonho seu, suas manias e os medos que lhe atormentam para de uma certa forma estar com ela nos momentos mais angustiantes da sua vida.

A vontade de cuidar a cada instante vive pronto a ser despertado, assim como o desejo de querer ouvi-la todo o tempo, aprecia-la em cada momento e abraça-la a todo o instante.

Os que são pegos por este laço dificilmente se soltaram, antes ficaram presos em suas fantasias que suas mentes arquitetaram contra eles mesmos.

Não há nada de errado com a paixão e nem se entregar a ela. O único erro é se apaixonar e não ser correspondido. Entregar-se a ela sem se preparar para um possível dano, o qual despedaça por completo o coração daquele que se apaixonou imprudentemente.

Por isso digo: não se apaixone, não se apaixone nunca, jamais! Fuja deste laço que nos envolve e que nos domina, fuja para não ser afogado por este sentimento avassalador que tanto nosso coração anseia.

Fraco também digo: entregue-se a ele e deixe-o envolver-te, enlace-se e mergulhe neste mar, deixe-o tomar conta, assim será movido por ele para sonhar na esperança de alcançar o coração da pessoa que tanto quer por perto, sim não deixe de lutar em querer ama-la!

Mas fica assim a minha advertência no que a paixão pode fazer e as consequências que ele traz consigo. Afinal a paixão é sempre impetuosa, porém tão doce quanto podemos imaginar ao ser assim correspondida.

Amor de papel

Amor de papel

Ouço os cantos dos pássaros
Procuro lembrar de uma bela canção
Uma que fale sobre esperança
E também de fé, amor e paixão.

Porém de todos estes
Nada se compara com o amor
Este que nasce no coração do homem
Se aconchegando a uma bela dama

Onde flores são dadas
E palavras são ouvidas
Olhares são trocados
E mãos dadas, mesmo estendidas.

Assim é a vida que Deus criou
Para que pudéssemos assim viver
Vivendo intensamente este amor
Mesmo que este as vezes pareça de papel.