Eu te perdoo…

Eu te perdoo…

Eu te perdoo pelos momentos que mais precisei de você e não pude contar contigo pois você não percebia que estava fraco e abatido por conta dos problemas que enfrentávamos deixando-me a maior parte do tempo sozinho e assim tinha que preencher com algo que não fosse a sua presença.

Eu te perdoo por não ver que estava lutando contra os meus demônios todo o tempo, por estar se afogando e não ter forças para lhe chamar, por lutar para ser melhor pra você e nisso fracassar por conta da minha fraqueza.

Eu te perdoo por não perdoar todas as vezes que fui rude por sentir-me tão pressionado com as coisas ao meu redor que aos poucos desmoronavam, por conta da minha estupidez e arrogância descontei em você e eu realmente me arrependo e pedi o seu perdão, mas você as guardou no seu coração ao invés de joga-las fora.

Eu te perdoo por você preferir se calar ao invés de se abrir e falar, por preferir fugir do que enfrentar e lutar, por preferir um caminho que aparentemente parece ser bom, mas que no final sabe bem no fundo que não levará a lugar nenhum.

Eu te perdoo por não ver que estava depressivo, que me sentia sozinho e vazio, mesmo você estando lá e achando que aparentemente não havia nenhum problema, mas havia e percebi que o sentimento que tinha era uma realidade futura, quando assim você me abandonou.

Eu te perdoo por não ver o desespero da minha alma que estava sedenta e seca, ela precisava de alguém que orasse, alguém que realmente se importasse, pois ela estava ferida e longe de Deus.

Eu te perdoo e sempre te perdoarei, esperando um dia que você volte mesmo sabendo que talvez nunca mais te veja e sinta novamente o seu abraço e olhe para os seus olhos verdes cor de mel…

Pensamentos de G. K. Chesterton

Amar significa amar o que é difícil de ser amado, do contrário não seria virtude alguma;

Perdoar significa perdoar o imperdoável, do contrário não seria virtude alguma;

Fé significa crer no inacreditável, do contrário não seria virtude alguma.

E esperar significa esperar quando já não há esperança, do contrário não seria virtude alguma.

— G. K. Chesterton.

Meus maiores problemas olham para mim no espelho

Meus maiores problemas olham para mim no espelho

Sou o que não desejo ser.

Faço o que não desejo fazer.

Penso o que não desejo pensar.

Quero o que não desejo querer.

Desejo amar a Deus com alegria.

Mas me perco em preocupações comigo mesmo.

Desejo amar aos outros livremente.

Mas escorrego para a insensibilidade.

Desejo perdoar.

Mas fico remoendo com amargura.

Desejo dar aos outros.

Mas descubro que tomo deles ou os ignoro.

Desejo ouvir e aprender.

Mas descubro que sou dogmático e teimoso.

Meus maiores problemas olham para mim no espelho.


Retirado do livro: O Sofrimento e a Soberania de Deus
Escritores: John Piper & Justin Taylor